/
Menu

Transporte coletivo registra lotação abaixo do limite previsto no decreto de distanciamento

23 de maio de 2020

Boa parte dos ônibus do Consórcio do Transporte Coletivo de Pelotas (CTCP) carrega, em todo o seu trajeto, menos de 15 passageiros. Esse e outros dados foram obtidos em levantamento feito pela Secretaria de Transporte e Trânsito (STT), nas duas primeiras semanas de maio. O secretário de Transporte e Trânsito, Flávio Al-Alam, apresentou os resultados da análise para a prefeita Paula Mascarenhas, em seu gabinete, na manhã desta sexta-feira (22).

O levantamento mostra, também, que os ônibus do Consórcio realizam 1254 viagens por dia, atualmente, com a redução do movimento devido à pandemia do novo coronavírus. No período anterior, em novembro de 2019, o número de viagens era o dobro do praticado durante o isolamento social, e o número de passageiros superava 112 mil usuários diários. Em abril de 2020, a média foi de 22 mil usuários por dia. 

A STT analisou a movimentação dos ônibus nos dias 4, 5, 6, 11, 12 e 13 de maio. O estudo destacou viagens completas que, em todo o trajeto, levam menos de 15 passageiros, e também as que carregam mais de 44 usuários, a fim de verificar o fluxo do transporte coletivo durante a pandemia.   

Constatou-se que os ônibus que apresentaram lotação acima de 44 não chegaram a exceder o limite determinado pelo Decreto Municipal de distanciamento social, que prevê o máximo de ocupação de todos os assentos, mais dez passageiros em pé, em cada veículo (54 pessoas, dependendo do tamanho do ônibus). 

Boa parte dos ônibus, principalmente fora de horários de pico, circula com poucos passageiros, em média metade dos bancos ficam ocupados (cerca de 20 assentos). Situações em que se verificou excesso da lotação foram pontuais. Al-Alam informou que, quando há lotação recorrente em uma mesma linha, em horários específicos, são colocados reforços na frota.   

Na linha Guabiroba, uma das mais utilizadas, foram 240 horários monitorados, nos três dias da primeira e segunda semana do mês. Deste total, 107 viagens apresentaram bilhetagem inferior a 15 passageiros, e 16 voltas superaram os 44 usuários. Na segunda semana foram 118 voltas com menos de 15 pessoas, e apenas 10 com mais de 44.

Baixa procura nos últimos horários 

Os últimos ônibus no sentido Centro/Bairro saem às 20h, geralmente com poucos usuários. Outro ponto que foi possível observar é que no horário das 19h30 o movimento no sentido Centro/Bairro, na grande maioria das linhas, ficou em torno de 20 pessoas. Após esse horário, principalmente no sentido Bairro/Centro, a bilhetagem não registrou mais do que 5 usuários.   

Com a reabertura gradual e controlada do comércio, no final de abril, os horários de maior movimento nos ônibus coincidem com a abertura e fechamento do comércio, mas a lotação não excede o previsto no Decreto Municipal para o distanciamento controlado.   

O uso de máscaras, obrigatório para que o usuário possa embarcar nos coletivos, tem sido observado pela população. “O uso de máscaras vem sendo respeitado, e os próprios passageiros cobram uns dos outros”, observou o secretário. 

O transporte coletivo urbano em Pelotas é sustentado pela tarifa cobrada aos usuários, não há subsídio da Prefeitura ao CTCP. Nos últimos anos o número de passageiros vem diminuindo, devido à migração para os transportes individuais ou compartilhados por aplicativo. A STT busca alternativas para otimizar o serviço junto ao Consórcio, com readequação de horários, linhas e itinerários. Com a pandemia, o desafio é manter o serviço ao cidadão e garantir o distanciamento seguro no interior dos veículos. 

Por Paulo Ienczak

22-05-2020 | 16:18:18